22.5.07

Descarregando a tensão

Tem gente que sai para tomar um chope, tem gente que malha compulsivamente. Tem gente que deprime na frente da novela e tem gente que se afunda sob os cobertores. Cada um sabe o que funciona para mente e corpo descarregarem a tensão. Pra mim, é farinha e forno.

Como escrevi no meu perfil, uso a casa como terapia. Em especial, a cozinha. É onde posso esvaziar a mente - tão exigida cotidianamente, tadinha - e colocar tudo o resto de lado em prol de uma atividade majoritariamente física. Como se a lavagem cerebral não fosse suficiente, ainda produzo coisinhas gostosas (na maioria das vezes) que alegram quem está ao meu redor. Melhor resultado, impossível.

Assim foi na semana passada. De folga, em casa, não podia nem ir ao cinema ou fazer as patinhas pois estava sem dinheiro. Recebo uma ligação: melhor amiga será internada devido a uma trombose e, como "muito ajuda quem não atrapalha", evito sair correndo para o hospital para não tumultuar ainda mais o barraco. A solução natural foi levantar do sofá e fazer pão.

Pão-divã (simbiose de Tatu + Jamie)
- 400 gramas de farinha de trigo
- 200 gramas de farinha de trigo integral
- 10 gramas de fermento fresco
- 1 colher de sopa cheia de mel
- 1/2 colher de sopa de sal
- 40 gramas de azeite
- 270 ml de água

Amorne 100 ml da água, dissolva nela o fermento e o mel e deixe descansar. Neste momento, se você prestar bastante atenção, vai escutar os "hurras!" dos fungos, que têm comida e quentinho para se alimentarem bem.

Enquanto a levedura se acaba por uns 10 minutos, misture as farinhas e separe os demais ingredientes. Eu testei o gancho de pão da batedeira, então joguei tudo lá e liguei a bichinha. Mas você pode fazer na mão, o que é altamente recomendado como terapia de choque: coloque a farinha em uma superfície lisa e seca, abra um buraco no meio, acrescente os ingredientes molhados e misture, com movimentos de fora para dentro. Neste ponto, coloque o sal. Continue misturando, abrindo e fechando a massa por uns 10 minutos, até ela estar bonitinha como na foto ao lado.

Faça uma bola, passe a mão com farinha pelo exterior e coloque em uma tigela untada. Faça alguns talhos com uma faca afiada, cubra com papel-filme ou uma toalha úmida e deixe descansar em local quente, úmido e sem correntes de ar (lembre-se do bem-estar das leveduras) por 1h30, ou até ela dobrar de tamanho. Vá tomar um banho de espuma.

Massa crescida, acorde as leveduras: tire a bola da tigela e, naquela superfície lisa, seca e agora esfarinhada, amasse a massa por uns cinco minutos, para tirar todo o ar de dentro. Faça bolinhas, disponha em um tabuleiro (untado, se precisar) e passe gema com água, usando um pincel para tanto - a Tatu passa água e polvilha sementinhas. Deixe descansar de novo, por mais uns 45 minutos, até as bolinhas virarem bolotas. Enquanto isso, tire a manteiga da geladeira, coloque a mesa e ligue o forno.

Coloque o tabuleiro no forno preaquecido por uns 30 minutos, até ficar dourado e o cheiro tomar todo o prédio. Para saber se está pronto, pegue o pão com cuidado para não queimar as mãos, e bata com os nós dos dedos na parte de baixo: se fizer "toc-toc" meio oco, como o vizinho que bate na porta atrás do cheiro, chega de forno. Coloque em uma grade para esfriar um pouco enquanto você faz o chá. Deixe a culpa de lado e coma com bastante geléia ou manteiga derretendo - lembre-se que até Freud devia adorar tais pequenos prazeres.

6 comentários:

laila disse...

ADOREI!!!adorei o jeito como escreveu, adoreu a mistura de mel com azeite....incrivel! PARABENS!!! bjos e melhoras pra amiga!

obs: sigo a msm tecnica d enao me apavorar e tumultuar o ambiente e tbm a de relaxar na cozinha!

A simplicista... disse...

Obrigada!
Essa técnica é infalível, não?

Manú disse...

Menina!!!
Amei teu blog, achei pura fofura!
Olha, se vc comprar o livro "Papel manteiga", da Tatu, vai encontrar uma receita de pão com limão e papoula (junto da do pão com sementes). É de comer chorando, de preferência com cream cheese em cima...
Bjos!
Manú
PS.: Te achei na Mixirica, viu?

A simplicista... disse...

Oi, Manú!
Seja bem-vinda! Você é a dona daquele blog feito pra quem sai de casa, né? É beeem divertido. Lembrei dos vários micos que passei nos meus primeiros anos...
Ainda não comprei o livro, mas pretendo em breve. A receita original deste pão peguei no Mixirica, toque da própria Tatu, e juntei com umas dicas do Jamie Oliver em "The Naked Chef". Quando comprar o "Papel-manteiga", e fizer a receita, conto aqui.
beijos e volte sempre!

Joaninha disse...

Alguém me sabe dizer como posso arranjar aqui em Portugal o livro "Papel-Manteiga"? Tenho "ouvido falar" tanto e gostava de o ter!!! Existe algum site que o venda e o envie para cá?

Cristina, obrigada pela visita ao meu blog:-). Há já algum tempo que costumo vir aqui espreitar as suas receitas, só espero que o seu problema de "clonagem" já esteja resolvido para poder ter mais receitas deliciosas como são as suas. Espero também sinceramente que a sua amiga esteja bem :-( e que as coisas corram pelo melhor. Esta receita de pão e a de esparguete estão deliciosas... mmmm...

Beijinhos!

A simplicista... disse...

Oi, Joaninha!
Venha sempre, que eu passarei com freqüência pela sua casinha virtual. Você parece ter um jeito de cozinhar parecido com o meu.
Quanto ao "Papel", você encontra em www.livcultura.com.br e no www.submarino.com.br. O problema é que você pagará três vezes mais. Você não conhece ninguém que passe por São Paulo?
beijo